A palavra é relacionamento

Há algumas semanas atrás, eu abri minha Bíblia no capítulo 2 de II Reis e li um diálogo entre Elias e Eliseu (2 Reis 2:9):

Diga o que você quer que eu faça por você antes que eu seja levado embora.

Quero receber como herança duas vezes mais poder do que os outros profetas vão receber.

Elias estava terminando seu ministério e perguntou o que Eliseu, seu discípulo, gostaria de “ganhar de presente”. Eliseu disse que queria duas vezes mais poder. Eu fiquei com isso em mente e comecei a refletir sobre a vida de Elias e Eliseu. Primeiro, eu queria saber porque Eliseu desejava ter mais poder.

Entendi que Eliseu não desejava ser mais poderoso, mas sim ter um ministério mais frutífero. Ele queria continuar a obra de Deus e fazer com que ela crescesse ainda mais. Segundo o texto bíblico, Eliseu recebeu mais poder. Por isso, comecei a comparar a vida dele com a de Elias

Ambos ressuscitaram mortos, Elias fez fogo cair do céu, Eliseu fez o ferro flutuar, ou seja, os dois fizeram grandes e incomparáveis feitos. Ao meu ponto de vista, fica difícil julgar quem teve mais poder. Então comecei a observar seus ministérios e percebi uma grande diferença: relacionamento.

Logo depois que Eliseu assume seu ministério, a Bíblia relata uma série de encontros dele com o povo (2 Reis 2.19; 2 Reis 3.12; 2 Reis 4.1; 2 Reis 4.8; 2 Reis 4.38; 2 Reis 5.8; e 2 Reis 6.1) . As pessoas procuravam Eliseu e pediam ajuda a ele.

Eliseu se importava com os outros: acompanhou os profetas na construção de suas casas; quis saber o que poderia fazer para ajudar uma mulher que o havia recebido em casa; tomou para si problemas que eram do rei; tirou o veneno da comida dos profetas; dentre outros. Eliseu se envolveu com as pessoas e com seus problemas, caminhou junto, intercedeu à Deus por aquele povo e abençoou grandemente aqueles que ele se relacionava.

O poder dobrado sobre Eliseu se deu por conta do relacionamento que ele mantinha com as pessoas. Ser alimentado por um corvo, assim como Elias foi, é mesmo um grande milagre.

Entretanto, você recebe mais poder, você frutifica mais ainda, quando se relaciona.

O relacionamento que gera fruto não pode ser superficial, é um relacionamento íntimo, que avalia seu papel dentro do problema do outro, que intercede e vive milagres. Esse nível de relacionamento exige entrega de ambas as partes. Não dá pra esconder problemas, medos, aflições, ansiedades, e também não dá pra escutar o outro e não fazer nada. Frutificar está relacionado a andar junto, gerar vida por meio da sua vida.

Marcos 3.14 diz: “então designou doze para que estivessem com ele.” Jesus caminhou junto com seus discípulos, o exemplo vem dele. E a pergunta para refletirmos hoje é: Quem tem caminhado conosco? Quando estaremos dispostos a receber nossa porção dobrada de poder?

Gostou? Compartilhe com os amigos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s