O casamento real

No último sábado aconteceu o casamento do príncipe Harry com a atriz norte americana Megnhan Markle. Com isso, Meghan, que até então era uma plebéia, se tornou membro da realeza britânica. Tudo parecia mesmo um conto de fadas e muitas pessoas suspiravam ao ver os “pombinhos” desfilando na sua carruagem. A instituição “casamento” foi estabelecida por Deus em Gênesis 2.24, que apresenta a definição de Deus para o que seria de fato um casamento real.

casamento

O conceito estabelecido por Deus é firmado em três pilares: “deixará o homem a seu pai e a sua mãe”; “se unirá a sua mulher”; e “serão uma só carne”.

O “deixará o homem a seu pai e sua mãe”, não significa que temos que abandonar nossa antiga família, mas que temos que ter maturidade e independência física, emocional e financeiramente.

A independência física refere-se a sair do mesmo teto. Quando você se mantém na casa dos pais, não poderão estabelecer sua rotina e suas regras. O que possivelmente irá impedir que o casal estabeleça os laços necessários para um casamento saudável. Além disso, podem ocorrem intromissões e brigas, o que prejudica o relacionamento do casal com a família.

A independência emocional é necessária para que seja possível que os dois resolvam os problemas em conjunto e para que não permitam que os problemas com os pais atrapalhem o casamento.

A independência financeira proporciona ao casal autonomia para decisões. Quando o casal vai se casar deve estar ciente das suas condições e viver de acordo com elas. Se não há condição de sustento, então não é hora de casar.

O “se unirá a sua mulher”, refere-se ao reconhecimento da sociedade sobre o casamento. Esse reconhecimento deve ocorrer em todas as esferas da sociedade: na família, na igreja, entre os amigos, no trabalho e perante a lei. Quando o casal não se assume como “marido e mulher” na sociedade ou não cumprem as obrigações que são exigidas pela lei ou pela igreja, a qual ele escolheu se submeter, a união de fato não ocorre.

O “serão uma só carne” é o laço espiritual que une duas pessoas quando eles se relacionam sexualmente, mas não é só isso, é preciso estabelecer intimidade e a unidade. Um casal deve ser amigo e companheiro, não podem existir segredos, omissões ou mentiras. Os dois devem resolver as desavenças e chegar em consenso sobre as questões que causam desentendimento.

Só existe casamento quando os três pilares, estabelecidos na Palavra, são atendidos. Fora disso não existe casamento. O grande problema da sociedade é que as pessoas vivem nos relacionamentos apenas algumas partes daquilo que foi estabelecido por Deus, mas chamam esse relacionamento de “casamento”. Por isso, o “casamento” virou uma instituição valida.

A felicidade não depende apenas do quanto de amor um tem pelo outro, mas depende de seguir aquilo que Deus estabeleceu. Os que vivem um relacionamento que atende o conceito estabelecido na Palavra, também devem seguir os padrões definidos por Deus (Efésios 5:22-25). Essa é a chave para um casamento feliz e saudável.

Se lendo esse post você percebeu que seu relacionamento precisa de algum ajuste para que vocês vivam um “casamento real”, peça ajuda a Deus e mude sua postura. Se você percebeu que vive um “casamento real”, persevere, o casamento foi instituído por Deus e sendo assim, só pode ser uma benção para sua vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s