Os fortes e os fracos na fé

Quando lemos o livro de Coríntios vemos os termos “fortes e fracos” na fé. Já li esse texto varias vezes e confesso que nunca dei muita importância para o que isso representava. Entretanto, recentemente chamou minha atenção e por isso, quero compartilhar algumas coisas com você.

A igreja de Corinto passava por uma fase de confronto entre a sua cultura e o evangelho. Eles não sabiam identificar, entre os hábitos e costumes, o que deveriam modificar e o que poderiam manter. Uma dúvida na época era sobre comer carnes consagradas à deusa Diana. Foi nesse contexto que Paulo usou  esses dois termos “fracos” e “fortes” na fé.

Os fracos eram aquelas pessoas imaturas na fé, os que ainda não haviam entendido a liberdade que o evangelho proporciona. Uma liberdade que nos permite fazer escolhas sabias e que nos aproximam de Deus.

Já os fortes na fé, eram aqueles mais maduros, que já haviam entendido por completo o sacrifício de Cristo e a liberdade que tem.

Logo, esses termos tem haver com nossa maturidade espiritual, que aumenta de acordo com o tempo de intimidade que passamos com o Senhor. Entrar no quarto, trancar a porta e ter um momento a sós com Deus vai nos fazer crescer, e assim, o Senhor vai ir nos tratando.

Quando eu me converti passei por um momento de “desintoxicação”, me afastei das pessoas e de tudo. Era do trabalho pra casa e da casa pro trabalho. Só assistia pregações e filmes bíblicos. Eu era fraca na fé, tinha medo de que tudo pudesse me desviar. Com o tempo, Deus foi ministrando ao meu coração e eu fui “relaxando”. Aprendi a ter formas de lazer saudável e a escolher minhas amizades, fui me tornando mais forte na fé, mais madura.

Meu marido, por exemplo, quando se converteu ele abriu mão da música, pois acreditava que ouvir música do “mundo” era pecado. Eles escutava todo tipo de ritmo mas apenas as da categoria “gospel”. Ele era fraco na fé, mas com o tempo ele percebeu que o que realmente importava era o que ele estava cantando, o que dizia aquela letra e que antes de avaliar se a música estava na categoria “gospel” ou não ele deveria verificar como aquilo iria impactar a sua vida e sua comunhão com Deus, foi se tornando mais maduro na fé e assim, aprendendo a fazer escolhas sábias.

Desta forma nossa vida espiritual, aos poucos vamos crescendo e sempre temos mais para crescer, o que não podemos é nos conformar, levando uma vida espiritual monótona. O evangelho de Cristo é transformação. Devemos estar sempre mudando, nos transformando, crescendo. Por isso, é importante entender e aceitar os processos de Deus para nós. Precisamos estar constantemente renovando nossa mente, o que só acontece em uma vida de intimidade com Deus.

“Mas, quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.” Mateus‬ ‭6:6‬ ‭

Espero que você tenha gostado desse texto. Um beijo e até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s