Páscoa

Nesse domingo comemoramos a páscoa, do original pessach, que significa “passar ou saltar por cima”. Originalmente, a páscoa era uma festa judaica que comemorava a libertação e fuga dos hebreus do Egito, o que significava um recomeço, o início de um novo tempo, quando seriam livres e voltariam para sua terra.

A primeira páscoa (Êxodo 12), aconteceu no Egito quando os hebreus ainda eram escravos. Moisés havia pedido ao Faraó a libertação do povo, mas, como o coração do Faraó estava duro, Deus foi enviando pragas para que o Faraó temesse ao Senhor e assim os deixasse partir. A décima praga anunciada por Deus faria com que o Faraó libertasse o povo. O anjo da morte passaria por todo Egito e os primogênitos de cada família seriam mortos.

Para que os hebreus fossem protegidos do anjo da morte, Deus deu a eles uma série de instruções. A obediência as orientações de Deus traria salvação ao povo.

Deus mandou que cada família escolhesse um cordeiro perfeito e o sacrificasse. O sangue do cordeiro deveria ser passado nas portas como uma marca e, na noite em que o anjo da morte passasse no Egito, aquelas casas cujas portas estivessem marcadas seriam poupadas e não haveria morte naquele lugar. Durante essa noite, os hebreus iriam comemorar a páscoa, passada do anjo sobre suas portas, e conseqüente libertação da escravidão no Egito.

Jesus Cristo não morreu na época da páscoa por coincidência. Ele foi o cordeiro escolhido por Deus. Seu sangue derramado na cruz do calvário é uma marca que livra da morte todo aquele que o aceita como “Senhor e Salvador”.

Portanto, a páscoa assumiu um novo significado. Não é mais da libertação do povo do Egito e sim a libertação do povo do pecado.

A Bíblia diz que Deus sempre nos amou, porém, nós pecamos e com isso fomos condenados à morte eterna. Como não podemos pagar essa dívida, precisamos de um cordeiro puro, sem pecados, para nos livrar da condenação do inferno. Cristo foi esse cordeiro (João 1.29). Da mesma forma a obediência à Deus aceitando o sacrifício de Cristo é o que nos trás salvação.

Sendo assim, a páscoa é a celebração da ressurreição de Jesus e conseqüente, vitória sobre a morte, sobre o pecado e sobre o diabo. É essa mensagem que devemos proclamar nessa data tão especial. Além disso, também precisamos refletir. Se ainda estamos presos a algum pecado precisamos nos arrepender para honrar o sacrifício de Cristo por nós e, assim, comemorarmos a páscoa.

Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado.
Por isso, celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da perversidade, mas com os pães sem fermento da sinceridade e da verdade. 1 Coríntios 5:7,8

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s