Cada um no seu lugar

Constantemente vemos pessoas muito dedicadas ao reino, que trabalham arduamente para o Senhor. Entretanto, não é difícil observar que a maioria dessas pessoas está sobrecarregada, fazendo mil coisas e, consequentemente, se sentindo esgotadas. Algumas até reclamam de quase todas as tarefas. Por isso, quero te encorajar a se perguntar hoje: “O lugar onde estou atuando é onde Deus quer que eu esteja?”.

Todos nós temos um propósito de vida, algo que fomos chamados para executar para o reino de Deus. Quando fazemos algo que não fomos chamados para fazer sobra esforço e falta graça.

Paulo nos orientou a funcionarmos como um corpo, cada um na sua função. Não é normal o “nariz” exercer a função dos “olhos”. Da mesma forma, não é normal você exercer algo que não foi designado para exercer. Entretanto, quando fazemos aquilo para que fomos chamados para fazer, nos encaixamos perfeitamente e somos recompensados. Nosso galardão não está condicionado com a quantidade de trabalho que realizamos, mas com fazer aquilo que Deus nos pediu para fazer, Ele espera que sejamos fieis ao nosso chamado.

Sabendo que somos corpo e que cada um deve exercer sua função, também devemos entender que nenhuma delas é mais importante do que a outra, e, sendo assim, não tem porque existir comparação em nosso meio.

Tanto Pedro quanto Paulo trabalharam arduamente para o reino e deram suas vidas por anunciar as verdades sobre Jesus Cristo. Mas, cada um fez aquilo que foi chamado para fazer! Pedro pregou aos judeus e Paulo aos gentios (Gálatas 2:7-10).

Pelo contrário, reconheceram que a mim havia sido confiada a pregação do evangelho aos incircuncisos, assim como a Pedro, aos circuncisos. Gálatas 2.7

Sendo assim, cada um deve assumir o seu lugar. Seja na igreja ou na sociedade. Sim! Na sociedade! O chamado não envolve apenas condições espirituais.  Ester foi chamada à agir em favor do povo como rainha (Ester 4:14). José de Arimatéia só pode cumprir seu chamado por ser um membro do Sinédrio ( Mateus 27:57,58; Marcos 15:43; Lucas 23:50-52). Naamã apenas foi salvo porque uma menina israelita cumpriu seu chamando sendo escrava de sua mulher (2 Reis 5:1-5).

A diversidade em nosso meio acontece porque cada um tem uma função específica, que completa a função de uma outra pessoa. Devemos adotar o mesmo modelo da trindade: cada um com uma função diferente, mas sendo um só.

Como filhos de Deus nós somos apenas mordomos e sendo assim, devemos fazer tudo o que nos é devido (1 Coríntios 4:1,2). Quando exercemos alguma função que não é nossa somos tidos como impostores (Apocalipse 2:2). Devemos exercer exatamente aquilo que Deus sonhou para nós.

Tudo que tenho compartilhado sobre “Identidade e Propósito” é algo que tem falado muito ao meu coração e acredito que se você está lendo esse texto é porque tem falado ao seu também. Sendo assim, quero te encorajar a fazer como eu e buscar uma palavra que sirva como orientação para o seu chamado (prometo que conto quando eu receber a minha).  Tenha foco e faça aquilo que o Senhor te chamou, é isso que ele espera de você.

Galardão tem haver com fidelidade ao chamado e não com quantidade de trabalho.

Gostou? Compartilhe com os amigos! Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s