Estudo: Cura interior, uma perspectiva bíblica

Hoje vamos fazer um estudo sobre cura interior. Esse estudo foi elaborado pela minha amiga Joana Fernandes. Espero que todos sejam muito abençoados com a leitura. 

Existe muita especulação sobre este assunto e ele tem sido aplicado de muitas maneiras erradas. O que apresentaremos aqui é um estudo sobre a cura interior mediante a Palavra de Deus. O estudo está dividido em 5 partes: Espírito, alma e corpo; Reconciliação; Os ataques de Satanás; As barreiras para cura; e Passos para cura.

1. Espírito, alma e corpo

Para entender melhor sobre cura interior, primeiramente precisamos saber como somos formados. O homem é um espírito que tem alma e habita num corpo. Quando falamos sobre cura interior, falamos sobre cura da alma. 1 Tessalonicenses deixa claro que o Senhor quer nos santificar de corpo, alma e espírito.

Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5:23

O espírito é o ponto de contato com Deus. Através do espírito temos consciência de Deus e nos relacionamos com Ele. Deus é Espírito e só podemos perceber Deus no espírito. É por meio do Espírito Santo que mantemos um relacionamento com Deus (Efésios 4:18).

A alma é tudo que o homem é (sua personalidade e seu ego). É o mundo dos pensamentos, sentimentos e decisões. A alma está entre o espírito e o corpo, pois pertence aos dois. Ela está ligada ao mundo espiritual através do espírito e ao mundo material através do corpo. É por meio da alma que temos consciência de nós mesmos (Hebreus 4:12).

Dentro de nossa alma temos três áreas:

  • Mente: sede da alma, intelecto, pensamentos, raciocínios e memória.
  • Vontade: instrumento para tomar decisões, o poder para escolher.
  • Emoções: instrumento para expressar nossos sentimentos, gostos, simpatias, alegrias, tristezas, amor, ódio, etc.

Em alguns salmos de Davi, podemos verificar como a alma dele se comportava. Davi conversava com a própria alma, deixando bem claro que somente as promessas e as palavras do Senhor poderiam trazer algum alivio para ela (Salmos 31:7; Salmos 42:11; e Salmos 119:28).

Por último temos o nosso corpo, que é a maneira como nos relacionamos com o mundo exterior. Sendo assim, o corpo reflete o estado de nossa alma.

A alegria do coração transparece no rosto, mas o coração angustiado oprime o espírito (Provérbios 15:13).

2. Reconciliação

Quando temos um encontro com Jesus, crendo na obra da cruz e nos rendendo a sua Palavra, somos reconciliados com Deus. O relacionamento perdido no Éden, por Adão (Gênesis 3) é restaurado e somos adotados como filhos de Deus (Gálatas 4:6).

Isso é somente o início da caminhada. Conforme vamos ganhando entendimento e sabedoria, é possível aprender como é o relacionamento entre o homem e Deus, que tem o intuito de restaurar a nossa imagem e semelhança do Pai (2 Coríntios 3:18).

A queda do homem (pecado) deturpou o plano original de Deus para nós. Tornamo-nos egoístas, orgulhosos, perversos, mentirosos, desobedientes, invejosos, amargurados, movidos pelas paixões (2 Timóteo 3:2-5 e Tiago 3:14). Nosso coração é enganoso (Jeremias 17:9), não nos conhecemos de verdade. Somente o Senhor sabe nossas intenções e nossos pensamentos. Quanto mais nos aproximamos de Deus, mais Ele revela seu plano original e mostra aquilo que não deveria estar em nós. Isso não é feito como acusação, mas a vontade Dele é de que sejamos totalmente (corpo, alma e espirito) irrepreensíveis (1 Pedro 1:9)

3. Os ataques de Satanás

 Sabendo de nossas vontades e emoções, é na alma que o “inimigo” nos ataca. Nossa mente é atacada com mentiras. Nossas emoções e nossas vontades são atacadas com tentações. Tudo isso com objetivo de provocar em nós tudo que é contra a verdade de Deus (1 Crônicas 21:1).

Satanás sempre tenta implantar mentiras na nossa mente assim como fez com Eva (Gêneses 3:6) Observe:

  • A imagem gera pensamentos: “Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer”.
  • O pensamento gera sentimentos: “era agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento”.
  • O sentimento gera uma ação ou reação: ‘tomou do seu fruto, comeu.”

Em nossa vida, alguns sentimentos e pensamentos lançados por Satanás são: orgulho, incredulidade, amargura, inferioridade, ciúme, suspeita, medo, fracasso, competição, culpa, autocondenação, rejeição, ressentimento, insegurança, fantasia, depressão, confusão, engano, intelectualismo, ódio, ganância, egoísmo, dentre outros. Tudo isso vai contra a Palavra de Deus, por isso sabemos que não provém Dele, são feridas que ficam em nossa alma, geradas por situações que vivenciamos ao longo da vida. O inimigo sabe disso e age em cima dessas feridas, nos impedindo de avançar naquilo que Deus tem para nós. Mas Jesus nos pede o contrário:

  • Ao invés de orgulho, Jesus nos chama para humildade (Mateus 11:28-30).
  • Ao invés de inferioridade, Jesus nos chama para vida em abundância (João 10:10).
  • Ao invés de medo, Jesus nos chama para ousadia no Espírito (2 Timóteo 1:7).
  • Ao invés de rejeição, Jesus nos chama para um relacionamento (Apocalipse 3:20).
  • Ao invés de depressão, Jesus nos chama para alegria no Espírito (Romanos 14:17).
  • Ao invés de ressentimentos, Jesus nos chama para perdoar (Colossences 3:13).

4. As barreiras para cura

Muitas pessoas ao ouvirem sobre a cura interior rejeitam logo de início, não admitindo que precisam de ajuda e de arrependimento. Não admitem que existe uma ferida aberta que precisa ser tratada. Há três tipos de comportamentos que funcionam como barreiras para cura: negação, racionalização e projeção.

  • Negação: negamos algo, mentimos a respeito, não queremos olhar para esses problemas, não falamos sobre isso (1 João 1:8);
  • Racionalização: desculpas que damos para o nosso comportamento, procurando ver as situações de forma racional e não espiritual (1 Samuel 13:8-14); e
  • Projeção: transferimos a culpa para o outro, projetamos nossos erros nos outros. (Gênesis 3:12).

Precisamos entender que, para andarmos com Deus, temos que andar na verdade. E que qualquer conflito ou sentimento diferente da Palavra de Deus não pode ser tratado como normalidade. Não podemos confessar a Deus o que não reconhecemos. Por isso, fazemos confissões generalizadas, damos e recebemos perdão também de maneira generalizada e acabamos tendo um relacionamento nebuloso, indistinto, generalizado e superficial com Deus.

Quando Jesus encontrou a mulher samaritana no poço, conduziu a conversa para a raiz dos problemas. Ela tentou desconversar, mas Ele foi mexendo nas feridas daquela mulher até trazer esperança de uma nova vida para ela (João 4).

Outra coisa que nos impede de reconhecer os problemas é achar que temos “merecimento”. A parábola de Lucas 18:9-14 deixa isso bem claro, um fariseu, que achava ser merecedor por ter uma boa conduta, e um publicano, que reconhecia que precisava melhorar. Jesus aceitou a oração do publicano. Todos nós precisamos ter nossas feridas saradas, sem exceção.

Precisamos reconhecer que estamos feridos, que ferimos outras pessoas e que isso precisa de mudança. Não há ferida que Deus não possa sarar.

5. Passos para cura

A cura interior é para as pessoas que já tem entendimento e já estão sob a obra da cruz, caminhando em fé de acordo com a Palavra de Deus.

Depois de reconhecer que precisamos de cura, o primeiro passo é o arrependimento por permitir (consciente ou inconscientemente) que esses sentimentos nos ferissem ou alterasse nosso comportamento. Quando nos arrependemos e pedimos perdão a Deus somos perdoados (1 João 1:9).

Depois do arrependimento, precisamos confessar nossos pecados. Sob direção do Espírito Santo, confessamos nossos pecados aos nossos irmãos. Falar a verdade sobre pecados, situações, sentimentos e pensamentos que nos trazem desconfortos, tanto do passado quanto do presente, proporciona cura para alma.

Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Tiago 5:16

Por fim, é preciso que esse irmão, que recebeu a confissão, ore por você e pela situação confessada, declarando a cura e libertação sobre sua vida, ou seja, declarar a Palavra de Deus que é mais eficaz que uma espada de dois gumes (Hebreus 4:12).

A cura interior faz parte de um processo de amadurecimento da fé. Nós reconhecemos que precisamos andar como Jesus andou e, com isso, teremos a necessidade de sermos sarados de toda ansiedade, falta de perdão, amargura, dentre outros. Precisamos fechar as feridas impedindo o inimigo de agir. Para isso, precisamos estar sempre sendo direcionados pela voz do Espírito Santo.

Em minha vida, eu tenho vivido experiências relevantes na área da cura interior e tenho visto o poder de Deus transformar vidas. Uma alma curada permite uma caminhada mais leve!

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Mateus 11:29

Gostou? Compartilhe com os amigos! Se tiver uma experiência de cura, nos conte nos comentários e abençoe outras vidas, seja sal e luz!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s